quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Dia 16, níver da Mar


É da Marjorie, filha mais velha, o níver de hoje. Mulher feita de brilhos sempre surpreeendentes, não precisa de linhas pra escrever seu mundo. Lembra uma pandorga deliciada no abandono - o fio se rompe! - ao vento de setembro. E o senso de humor dessa criatura vai além do exercício intelectual refinado. É uma provocação pra aqueles que topam fazer da vida uma navegação sem instrumentos pelos mares da beirada do mundo.

9 comentários:

  1. que lindoooo!
    fato: "E o senso de humor dessa criatura vai além do exercício intelectual refinado", mas sem perdê-lo, claro! ;)

    e eu só a conheço há cerca de um mês!!!
    parabéns pro Paizão tb, né?!
    o/

    ResponderExcluir
  2. Que bom que você é meu pai.

    (achei lindo! Obrigada!)

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo!! Que família talentosa!
    Parabéns a Marjorie!!

    ResponderExcluir
  4. Ráááá!!!

    Vi o poema!!!

    Nem chorei (mentira!)

    ResponderExcluir
  5. Se eu fiquei com os olhos marejados, imagina tu!!

    ResponderExcluir
  6. Festa e festa! E a primavera nem começou.
    Abraço pro papai e beijo pra filhota. Parabéns aos dois.

    ResponderExcluir
  7. Uma pandorga? Essa mulher é o próprio céu!!!

    Parabéns pra ti enqto pai. Parabéns pra ela, cortina de estrelas.

    ResponderExcluir
  8. Obrigados. E, Zé Edi, a gente que é pai de crias maravilhosas tem mais é que sortá foguete nas macegas!

    ResponderExcluir