quarta-feira, 31 de março de 2010

Viúvas do golpe de 1964

Esta charge vai ao ar em preto e branco, nos moldes do semanário carioca O Pasquim, principal usina de cartunistas da resistência que, a partir de 1969, dirigido por gente como Millôr Fernandes, Jaguar e Ziraldo, infernizou os milicos com sua inteligência e senso de humor. Falta um Pasquim na boçalidade pasteurizada do Brasil de hoje!

8 comentários:

  1. Charges que se tornam Cartuns, pela atemporalidade.
    Genial.
    Realmente, a gênese dos bons cartunistas foi num período muito duro e o velho Pasquim foi o bastião da indignação.
    Lendo os comentários no último post do Tonho, sobre Salão de humor no Irã, percebe-se que a criatividade sob pressão aflora.

    Como disse o saudoso Henfil, questionado sobre criatividade:

    _É ter dois domermans (dobermen?) atrás de você num beco sem saída'.

    Grande abraço e obrigado.

    ResponderExcluir


  2. Tem outras "viúvas"...

    Os DEMOcratas do partido do DEMo...

    AntiDEMocráticos!

    :)

    ResponderExcluir
  3. Caro TonhO, ainda DEM muitas outras viúvas do golpismo, principalmente entre aquela velha guarda que desfrutou do crescimento econômico (com aumento da dívida externa) até 1973. Gente que viveu bem, condenou a resistência e até hoje nega a violência brutal da ditadura. E também há os filhotes dessa gente: não viveram naquele período, mas defendem mais um, só pra ver cumé quié... Dá uma olhadinha na Juventude do PP...

    ResponderExcluir
  4. Tenho 40 anos, nasci em 1969. Fui criança ( anos 1970)e adolescente ( anos 1980 )nos "anos de chumbo". Aquelas propagandas do exército nod dias pátrios, os documentos da Censura Federal exibidos na Tv antes de começar qualquer programa - até mesmo os meus desesnhos favoritos - tudo isso ñ saem da minha lembrança.

    Tive a felicidade de ver as campanhas das Diretas Já, ver o Tancredo presidente, e a infelicidade de ver Sarney no poder ( Meu Deus ).

    Em memória daqueles que morreram lutando contra o regime militar, vamos aproveitar, desfrutar da melhor maneira possível o momento democrático que vivemos, com todos os seus pecados e erros. Muita coisa ainda tem que ser feita, mas ditadura, nunca mais!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Tu te pareces al profesor unrat. perdón, pero tenia que decirlo te apreces mucho

    ResponderExcluir
  6. ahh e esqueci de dizer, mas nao foi porque nao percebi, o seu blog está muito interesante.

    fui.

    ResponderExcluir